• Minerpar

   Serviço Geológico do Paraná

Ações

Aqui você encontra os últimos termos que foram incluídos em nosso glossário. Para ler mais, consulte o índice.

A :  B :  C :  D :  E :  F :  G :  H :  I :  J :  K :  L :  M :  N :  O :  P :  Q :  R :  S :  T :  U :  V :  W :  X :  Z : 

Glossário de termos geológicos

IAPETUS
Denominação aplicada a um pequeno oceano que existiu entre os continentes de Laurentia, Baltica, e Avalonia, desde o Proterozóico ao Devoniano.

ICEBERG
Grande massa de gelo flutuante que se desprendeu de uma geleira ou de uma capa de gelo, e que se apresenta com mais de 5m acima do nível do mar.

ICNOFÓSSIL
Designação conferida aos vestígios da atividade vital de antigos organismos, tais como pegadas, pistas e perfurações.

ICTIÓLITOS
Denominação aplicada a concreções que encerram peixes fósseis.

ICTIOSSAUROS
Répteis marinhos que viveram na Era Mesozóica, muito semelhantes aos peixes no tocante ao formato do corpo. Desprovidos de pescoço, apresentavam uma nadadeira dorsal e uma nadadeira caudal.

IGACI
Denominação indígena para o canal principal de um curso d’água.

IGAPÓ
Nome indígena, que significa mata cheia d’água, para uma floresta paludosa, de menor desenvolvimento, relativamente pobre em espécies e desenvolvida em solo geralmente arenoso. Este tipo de mata é comum na região amazônica.

IGARAPÉS
Ligações entre braços de rios; passagem de canoas entre as vegetações aquáticas; canal natural estreito.

ÍGNEA (ROCHA)
O mesmo que magmática (rocha).

IGNIBRITO
Rocha ígnea ácida formada por suspensão altamente fluida de fragmentos finos de magma em gases muito quentes. Assemelha-se freqüentemente a uma autêntica lava.

ILHA
Porção de terra firme, situada no mar, lago ou rio, e cercada de água por todos os lados.

ILITA
Um dos grupos que constituem os argilominerais, formado por folhas de três camadas onde a unidade estrutural básica é uma folha composta, que se apresenta com duas camadas de tetraedros de SiO4, entre as quais se situa uma camada de Al coordenado octaedricamente.

ILUVIAÇÃO
Processo de decomposição do material do solo, removido de um horizonte superior para um inferior no perfil do solo, promovendo a concentração de argilas, sesquióxidos, carbonatos, etc., numa certa camada do solo.

IMBRICAÇÃO (Geologia Estrutural)
Denominação aplicada à disposição apresentada pelos elementos discóides ou alongados de uma fábrica (conjunto textura/estrutura) quando os mesmos se inclinam segundo uma direção preferencial, em ângulo com o acamamento.

IMPACTO
Impressão muito forte, muito profunda, causada por eventos diversos, seja nos seres vivos ou no meio ambiente.

IMPACTO AMBIENTAL
Qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente, afetam a saúde, a segurança e o bem-estar da população, as atividades sociais e econômicas, a biota, as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente e a qualidade dos recursos ambientais. Resolução CONAMA nº 306, de 5 de julho de 2002.

IMPACTO CÍCLICO
Quando o efeito se manifesta em intervalos de tempo determinados.

IMPACTO CUMULATIVO
Impacto ambiental derivado da soma de outros impactos ou por cadeias de impacto que se somam, gerado por um ou mais de um empreendimentos isolados, porém contíguos, num mesmo sistema ambiental.

IMPACTO DIRETO
Resultante de uma simples relação de causa e efeito (também chamado impacto primário ou de primeira ordem).

IMPACTO ECOLÓGICO
Refere-se ao efeito total que produz uma variação ambiental, seja natural ou provocada pelo homem, sobre a ecologia de uma região.

IMPACTO ESTRATÉGICO
Quando o componente ambiental afetado tem relevante interesse coletivo ou nacional.

IMPACTO IMEDIATO
Quando o efeito surge no instante em que se dá a ação.

IMPACTO INDIRETO
Resultante de uma reação secundária em relação à ação, ou quando é parte de uma cadeia de reações (também chamado impacto secundário ou de segunda ordem, terceira ordem, etc, de acordo com sua situação na cadeia de reações).

IMPACTO IRREVERSÍVEL
Quando, uma vez ocorrida a ação, o fator ou parâmetro ambiental afetado não retorna às suas condições originais em um prazo previsível.

IMPACTO LOCAL
Quando a ação afeta apenas o próprio sítio e suas imediações.

IMPACTO NEGATIVO OU ADVERSO
Quando a ação resulta em um dano à qualidade de um fator ou parâmetro ambiental.

IMPACTO PERMANENTE
Quando, uma vez executada a ação, os efeitos não cessam de se manifestar num horizonte temporal conhecido.

IMPACTO REGIONAL
Quando o impacto se faz sentir além das imediações do sítio onde se dá a ação.

IMPACTO REVERSÍVEL
Quando o fator ou parâmetro ambiental afetado, cessada a ação, retorna às suas condições originais.

IMPACTO SOCIAL
Abalo moral, físico ou financeiro, causado nas pessoas por um evento perigoso (“hazard”), ou pela degradação ambiental.

IMPACTO TEMPORÁRIO
Quando seus efeitos têm duração determinada.

IMPERMEABILIZAÇÃO
Conjunto de processos destinados a reduzir ou impedir a passagem da água, diminuindo o coeficiente de permeabilidade de uma superfície ou de uma zona onde ocorre percolação d’água.

IMPERMEÁVEL
É uma rocha, sedimento ou solo que não permite a percolação de líquidos ou gases.

IMUNIDADE
Resistência a enfermidades, usualmente associada à presença de anticorpos que têm o efeito de inibir microrganismos específicos, ou suas toxinas, responsáveis por doenças infecciosas.

IMUNOGLOBULINA
Molécula de anticorpo. Vertebrados superiores possuem cinco classes de imunoglobulinas - IgA, IgD, IgE, IgG, e IgM - cada uma com uma função diferente para a resposta de imunização.

INALTERADA (ROCHA)
Diz-se das rochas que não sofreram modificações por fenômenos de intemperismo.

INCINERAÇÃO
Processo de combustão controlada que transforma os resíduos sólidos, líquidos e gases em dióxido de carbono, água e outros gases. Definida como um processo de redução do peso e volume do lixo por combustão. Utilizado para tratamento dos resíduos que não podem ser reciclados, reutilizados ou dispostos em aterros sanitários (ex.: lixo hospitalar).

INCINERADOR
Equipamento no qual são queimados resíduos combustíveis sólidos, líquidos ou gasosos, deixando resíduos que contêm muito pouco ou nenhum material combustível. Devido aos problemas relacionados com a poluição atmosférica, tende a desaparecer o seu emprego.

INCLINAÇÃO
Ângulo formado por uma camada, dique ou fratura com o plano horizontal, tomado perpendicularmente à sua intersecção. (Sin: mergulho).

INCLUSÃO
Corpo estranho gasoso, líquido ou sólido, incluso na massa de um mineral ou rocha.

INCONFORMIDADE
Discordância angular ou uma discordância onde as rochas mais velhas são de origem plutônica. O mesmo que discordância.

INCRUSTAÇÃO
Consiste na deposição de materiais aderentes em diversas partes das captações de água. As incrustações podem ser duras, atuando na forma de um cimento (p.ex. formação de carbonatos) ou frágeis, na forma de lodos e materiais pastosos ou gelatinosos (p.ex. óxidos de ferro ou colônias de bactérias). As incrustações podem afetar zonas filtrantes de poços, aqüíferos, canalizações, drenos, etc.

INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
Estatísticas, que podem ser valores absolutos, razões ou outros índices, utilizadas na mensuração do nível de sustentabilidade social, ambiental, econômica e institucional de uma sociedade ou território. Para algumas destas estatísticas há valores considerados como metas ou objetivos a serem alcançados a médio e longo prazos. Para outros indicadores, embora não haja metas ou objetivos explicitamente colocados, há um consenso sobre se a sustentabilidade é alcançada com valores maiores ou menores.Ver também Desenvolvimento Sustentável, Sustentabilidade, Sustentabilidade Ambiental, Sustentabilidade Social.

ÍNDICE (FÓSSIL)
Dá-se o nome de fóssil índice ou fóssil guia a qualquer resto orgânico que indique um horizonte geológico definido (camada, formação).

ÍNDICE (MINERAL)
Minerais característicos para certas associações, jazidas, rochas, etc.

ÍNDICE DE CONSISTÊNCIA
Relação entre o limite de liquidez diminuído do teor de umidade natural de um solo, e o índice de plasticidade.

ÍNDICE DE CONTRAÇÃO
Diferença numérica entre o limite de plasticidade e o limite de contração de um solo.

ÍNDICE DE COR
Relação, em termos quantitativos, entre os minerais claros (siálicos ou félsicos) e os escuros ou ferromagnesianos (máficos) que compõem a rocha. A soma dos minerais escuros, expressa em porcentagem, classifica as rochas em: leucocráticas (0 - 30 %), mesocráticas (30 - 60 %) e melanocráticas (60 - 100 %).

ÍNDICE DE FLOCULAÇÃO
Porcentagem de argila dispersa em água, em relação à argila total.

ÍNDICE DE LIQUIDEZ
Relação, expressa em porcentagem, da diferença entre o teor de umidade natural e o limite de plasticidade de um solo sobre o índice de plasticidade do mesmo.

ÍNDICE DE MASSA
Ver índice de umidade.

ÍNDICE DE PLASTICIDADE
Diferença numérica entre o limite de liquidez e o limite de plasticidade de um solo. Quantifica o gama de variação de umidade dentro do qual um solo é plástico.

ÍNDICE DE QUALIDADE
Classificação qualitativa de um maciço rochoso, que considera a interferência das descontinuidades geológicas e o estado de alteração na deformabilidade e na resistência do conjunto, simultaneamente com as propriedades da rocha intacta. A “Designação Qualitativa de Rocha” (RQD) é um desses índices.

ÍNDICE DE QUALIDADE DE ÁGUAS (IQA)
Indicador para avaliar a condição das águas, ou seja, produto ponderado da qualidade de cada parâmetro com valores variando entre 0 e 100.

ÍNDICE DE SENSIBILIDADE (SOLO)
Relação entre as resistências a compressão simples de um solo argiloso nos estados natural e remoldado, nas mesmas condições de teor de umidade.

ÍNDICE DE UMIDADE
Massa de vapor d’água por quilograma de ar seco. Índice de massa.

ÍNDICE DE VAZIOS (SOLO)
Relação entre o volume dos vazios e o volume dos sólidos de um solo.

ÍNDICE PLUVIAL
Altura da precipitação total, de um certo período, que será provavelmente igualada ou ultrapassada, durante determinado número de anos

INFECÇÃO
Penetração, alojamento e, em geral, multiplicação de um agente etiológico vivo no organismo de um hospedeiro, produzindo-lhe danos, com ou sem aparecimento de sintomas clinicamente reconhecíveis. Em essência, a infecção é uma competição vital entre um agente etiológico vivo (parasita “sensu latu”) e um hospedeiro; é, portanto, uma luta pela sobrevivência entre dois seres vivos, cada um visando a manutenção de sua própria espécie.

INFESTAÇÃO
Entende-se por infestação de pessoas ou animais o alojamento, desenvolvimento e reprodução de artrópodes na superfície do corpo ou nas roupas. O termo também é usado para expressar o crescimento descontrolado da população de qualquer ser vivo. Os objetos ou locais infestados são os que albergam ou servem de alojamento a animais, especialmente artrópodes e roedores.

INFILTRAÇÃO DE ÁGUA
Movimento da água que penetra no subsolo a partir da superfície. Capacidade de penetração da água das chuvas, devendo-se considerar dois aspectos: o que diz respeito à permeabilidade original, como por exemplo, o caso das areias; e a permeabilidade adquirida, produzida pela fraturação, pelas juntas de estratificação (permeabilidade secundária nas rochas). (Vide permeabilidade).

INFLORESCÊNCIA
Disposição que as flores assumem quando se reúnem nos ramos. Existem dois grupos de inflorescências denominados: racemosa e cimosa.

INFLUXO
Água que flui para um aqüífero, um trecho de um rio, um lago, um reservatório ou um depósito similar.

INFRA-ESTRUTURA URBANA
Conjunto de obras que constituem os suportes do funcionamento das cidades e que possibilitam o uso urbano do solo, isto é, o conjunto de redes básicas de condução e distribuição: rede viária, água potável, redes de esgotamento, energia elétrica, gás, telefone, entre outras, que viabilizam a mobilidade das pessoas, o abastecimento e a descarga, a dotação de combustíveis básicos, a condução das águas, a drenagem e a retirada dos despejos urbanos.

INFRAESTRUTURA SUBTERRÂNEA
É o conjunto de obras enterradas que são implantadas na cidade como: galerias pluviais, rede de esgoto, etc., destinadas à atender a população.

INFRAMARÉ
Parte da planície de maré situada abaixo do nível médio das marés baixas, ficando portanto quase sempre coberta pela água.

INJEÇÃO
Introdução de determinadas substâncias aglomerantes numa estrutura ou num maciço rochoso, com a finalidade de impermeabilizar ou consolidar a rocha injetada.

INOSSILICATOS
Silicatos cujos tetraedros de SiO4 podem estar unidos em cadeias compartilhando oxigênio com os tetraedros adjacentes. Essas cadeias simples podem se unir através do oxigênio formando faixas ou cadeias duplas.

INSATURADA (ROCHA)
Rocha magmática que contém minerais não saturados, isto é, minerais de baixo teor em sílica, especialmente olivina e feldspatóides. As rochas insaturadas raramente possuem quartzo. (Sin: subsaturada).

INSELBERG
Forma residual que apresenta feições variadas tais como crista, cúpula, e domo, cujas encostas mostram declives acentuados, dominando uma superfície de aplanamento superior.

INSEQÜENTE
Rio que aparentemente não apresenta qualquer tipo de controle, seja ele de natureza estratigráfica ou estrutural.

INSETOS
Classe de artrópodes, que abriga cerca de 800 000 espécies, sendo que 12 000 são fósseis. Predominantemente terrestres, apresentam o corpo dividido em três partes: cabeça, tórax e abdômen. Estão presentes desde o Devoniano Médio.

INSOLAÇÃO
Radiação solar direta incidente por unidade de área em um dado local. O número de horas de brilho solar é variável e depende, principalmente, do período do ano, do período do dia e da latitude local.

INSTABILIDADE DE ENCOSTAS
Estudos de movimentos de massas, de uma maneira geral, que podem ser realizados com dois objetivos principais: o corretivo e o preventivo. No corretivo as investigações devem apresentar soluções para eliminar ou minimizar os efeitos de um processo de instabilidade em andamento ou já ocorrido; O preventivo está relacionado com os casos de instabilidade potencial, ou seja, aqueles revelados antes que um fator qualquer inicie o fenômeno de instabilização.

INSTABILIDADE POTENCIAL
Condição limite de estabilidade de um talude natural ou de escavação, ocasionada pela diminuição progressiva da coesão entre as partículas e da resistência ao cisalhamento, com predisposição à ocorrência de deslizamentos. São vários os fatores que levam à instabilidade potencial, entre eles: a constituição do material, a presença de descontinuidades no maciço, a ação do homem, o aumento temporário da pressão de água, etc.

INSTÁVEL
Todo e qualquer material sujeito a movimentação ou transformações impostas por agentes externos.

INSULINA
Hormônio polipeptídico, secretado por células no pâncreas, e que auxiliam na regulação do metabolismo da glicose em animais.

INTEMPERISMO
Conjunto de processos atmosféricos e biológicos que causam a alteração, decomposição química, desintegração e modificação das rochas e dos solos. O intemperismo é mais acentuado nas rochas que se formaram em profundidade, sob condições de temperatura e pressão elevadas, e que se encontram em desequilíbrio na superfície terrestre. Há minerais que não são afetados pelo intemperismo, como o quartzo. No entanto, a maioria se decompõem, formando minerais novos, estáveis em condições de superfície como o caulim. O produto final do processo de alteração das rochas é o solo. Sin: meteorização.

INTERDIGITAÇÃO
Passagem de um material para outro através de uma série de camadas entrelaçadas em forma de cunha.

INTERESTADIAL
Intervalo de tempo mais quente, caracterizado pelo recuo temporáriodas geleiras, no decorrer de um estádio glacial.

INTERESTRATIFICAÇÃO
Estratificação entre camadas, ou contido numa camada paralela a outras camadas de material diferente.

INTERFACE (Sedimentologia)
Superfície sobre a qual está sendo processada a sedimentação.

INTERFERÊNCIA
Fenômeno moderador, responsável pelo relativo equilíbrio hidrostático decorrente do fato de que a bacia amazônica abrange dois hemisférios, nos quais as estações chuvosas se alternam, ou seja, as cheias dos rios das margens meridional - Hemisfério Sul, não coincidem com as cheias dos rios das margens setentrional - Hemisfério Norte. Esta alternância garante a alimentação farta e permanente do rio Amazonas.

INTERFLÚVIO
O mesmo que divisor de água.

INTERFORMACIONAL
Conglomerado que ocorre dentro de uma formação, cujos constituintes tem origem estranha a ela.

INTERGLACIAL
Época de clima mais quente situada entre dois estágios glaciais. A época interglacial é caracterizada pelo degelo intenso, recuo do gelo, e deposição de sedimentos periglaciais. No mar manifesta-se um movimento transgressivo pelo aumento do volume de água - eustasia.

INTERMARÉ
Faixa do litoral situada entre a maré alta e a maré baixa.

INTERMEDIÁRIA (ROCHA)
Rocha ígnea cujo teor em sílica varia entre 52 a 66%. Sin: neutra.

INTERSTÍCIO CAPILAR
Interstício do solo suficientemente pequeno para permitir que a água seja mantida contra a ação da gravidade, acima do nível freático.

INTERSTÍCIOS
Espaços existentes entre as partículas de uma rochas sedimentar ou sedimentos capazes de armazenar água. Podem ser, conforme a sua formação, de origem primária ou secundária.

INTERVENÇÃO
Medidas executadas com o objetivo de alterar as características de um evento a fim de diminuir sua ação, ou modificações de um elemento para diminuir sua vulnerabilidade. A regulamentação do uso do solo, medidas de emergência e educação pública são medidas não estruturais relacionadas à vulnerabilidade física e funcional.

INTRACLASTO
Fragmento carbonático, de sedimentação penecontemporânea, que foi erodido e redepositado nas proximidades e incorporado aos calcários mais jovens.

INTRACRUSTAL
Rocha de origem magmática formada no interior da crosta terrestre. (Sin: plutônica, abissal, etc.).

INTRAFORMACIONAL (BRECHA)
Brecha formada pela fragmentação de estratos parcialmente litificados e pela incorporação dos fragmentos, sem muito transporte, em camadas novas quase contemporâneas àqueles. Não confundir com conglomerado interformacional. (Vide interformacional).

INTRUSIVA (ROCHA)
Nome dado a rochas geralmente de origem ígnea cujo corpo está introduzido em outras rochas. As rochas plutônicas e hipoabissais são rochas intrusivas. O mesmo que plutônica (rocha).

INUNDAÇÃO
Invasão dos terrenos marginais pelas águas de um rio ou lago.

INUNDAÇÃO SAZONAL
Processo de extravasamento das águas de um rio para as áreas marginais, quando a vazão a ser escoada é superior à capacidade de descarga da calha. Está, normalmente associado a acréscimo na descarga por certo período de tempo, assoreamento de canal, barramentos ou remansos.

INVENTÁRIO FLORESTAL
Descrição qualitativa e quantitativa de um povoamento florestal natural ou plantado (reflorestamento).

INVERSÃO TÉRMICA
"Condição atmosférica na qual uma camada de ar frio é aprisionada por uma camada de ar quente, de modo que a primeira não possa se elevar. As inversões espalham horizontalmente o ar poluído de modo que as substâncias contaminantes não podem se dispersar.

IONIZAÇÃO
Resultado de qualquer processo através do qual átomos ou moléculas, que são neutros, adquirem carga elétrica positiva ou negativa.

IRRIGAÇÃO
Processo no qual se adiciona água ao solo artificialmente, procurando suprir a ausência ou má distribuição das águas de chuva, e condicionar um teor de umidade que possibilite o crescimento normal das plantas.

IRRIGAÇÃO LOCALIZADA
Método de irrigação através da qual a água é conduzida de maneira pressurizada, umedecendo apenas parte do sistema radicular da cultura.

IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO
Método de irrigação onde a água é conduzida em tubos, sob pressão, e aplicada na cultura em forma de chuva artificial.

IRRIGAÇÃO POR SULCOS
Tipo de irrigação por superfície, na qual a água é conduzida através de canais ou sulcos paralelos às fileiras das plantas, durante o tempo necessário ao umedecimento das raízes.

ISOCLINAL
Dobra cujos flancos mergulham no mesmo sentido e com ângulos iguais.

ISOHIPSA
Linha que representa em um mapa, o lugar geométrico dos pontos de mesma profundidade do nível d’água de um aqüífero.

ISOIETA
Linha que une os pontos de mesmo valor de precipitação atmosférica, em um determinado período. É representada em altura de coluna d’água.

ISÓPACA
Linha, em planta, que une pontos de igual espessura de uma determinada camada.

ISOPIEZAS
O mesmo que curvas de nível piezométrico.

ISOSTASIA
Fenômeno de equilíbrio, por flutuação, das unidades litosféricas sobre a astenosfera. Dois conceitos diferentes do mecanismo de isostasia são a hipótese de Airy, de densidade constante, e a hipótese de Pratt, de espessura constante.

ISOSTÁTICO
Sujeito a igual pressão de todos os lados.

ISOTERMA
Curva que liga os pontos de igual temperatura.

ISÓTOPOS
Nuclídeos que apresentam o mesmo número de prótons, mas que diferem quanto ao número de nêutrons.

ISOTROPIA
Constância do valor de uma ou mais propriedades mecânicas de um corpo, segundo a mesma direção do espaço.

ISÓTROPO (MEIO)
Um meio é dito hidraulicamente isótropo, quando suas propriedades hidráulicas, principalmente a permeabilidade não variam segundo qualquer direção no espaço.

ISTMO
Faixa de terra firme, relativamente estreita, que une porções do continente, e cercada de água pelos dois lados.

ITABIRITO
Termo brasileiro significando minério hematítico de alto teor. Atualmente é aplicado a rochas xistosas com leitos ricos em hematita e leitos de quartzo em proporções variáveis. Do ponto de vista da mineração pode ser considerado como um minério de ferro quartzoso.

ITAIPAVA
Rochedo que intercepta um curso d’água, atravessando-o de um lado ao outro.

ITINERÁRIO
Percurso de coleta efetuado por um veículo coletor, dentro de um certo setor de coleta e num determinado período. Para cumprir o itinerário, o veículo coletor poderá fazer uma ou mais viagens.