• Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos
    • Mineropar

       Serviço Geológico do Paraná

    Ações

    Aqui você encontra os últimos termos que foram incluídos em nosso glossário. Para ler mais, consulte o índice.

    A :  B :  C :  D :  E :  F :  G :  H :  I :  J :  K :  L :  M :  N :  O :  P :  Q :  R :  S :  T :  U :  V :  W :  X :  Z : 

    Glossário de termos geológicos

    OBDUCÇÃO
    Em zona de colisão, cavalgamento de litosfera oceânica por sobre as margens das placas litosféricas continentais. As rochas oceânicas alóctones são identificadas como suítes ofiolíticas. I: Obduction.

    OBJETIVA (Microscopia)
    Lente ou associação de lentes que fornecem a imagem real do objeto observado, estando localizada na extremidade inferior do canhão do microscópio. Para facilitar a mudança de uma objetiva a outra, as mesmas encontram-se instaladas em um dispositivo giratório denominado revólver.

    OBLIQÜIDADE (Mineração)
    Ângulo formado pelo eixo de uma jazida e uma horizontal, medido no seu plano médio, ou seja, o ângulo entre o seu eixo e o seu traço medido no plano médio. Somente em uma jazida vertical a declividade e a obliqüidade apresentam o mesmo valor.

    OBSEQÜENTE
    Rio cujo curso se dispõe em direção oposta à drenagem conseqüente da área.

    OBSIDIANA
    Rocha vulcânica vítrea, de fratura conchoidal.

    OCEANOGRAFIA
    Estudo dos oceanos, incluindo seus aspectos físicos, químicos, biológicos e geológicos; de uma forma mais restrita, o estudo dos ambientes marinhos.

    OCULAR (Microscopia)
    Lente ou associação de lentes que permitem observar a imagem real do objeto fornecida pela objetiva. As oculares podem ser positivas ou negativas, sendo que nas primeiras o foco do sistema ocular encontra-se antes da lente coletora.

    OCUPAÇÃO DO SOLO
    Ação ou efeito de ocupar o solo, tomando posse física do mesmo, para desenvolver uma determinada atividade produtiva ou de qualquer índole, relacionada com a existência concreta de um grupo social, no tempo e no espaço geográfico.

    ODOR
    Concentração de um gás perceptível pelo aparelho olfativo do homem.

    OFFLAP
    (1) Termo utilizado em sismoestratigrafia, referindo-se, genericamente, ao padrão de reflexão gerado pela progradação dos estratos em águas mais profundas; (2) em um sentido mais amplo, diz-se da regressão progressiva para “offshore” da terminação mergulho acima das unidades sedimentares contidas em uma mesma seqüência deposicional, na qual cada unidade sucessivamente mais jovem deixa exposta uma porção da unidade mais antiga sobre a qual ela repousa.

    OFÍDIO
    Designação científica dada aos répteis que rastejam, vulgarmente conhecidos por cobras ou serpentes, peçonhentas ou não.

    OLHO D’ÁGUA
    (1) Local onde se verifica o aparecimento de água por afloramento do lençol freático (Resolução nº 04, de 18.09.85, do CONAMA). (2) Designação dada aos locais onde se verifica o aparecimento de uma fonte ou mina d`água. As áreas onde aparecem olhos-d`água são, geralmente, planas e brejosas. Sins.: nascente, fonte.

    OLHO DE GATO
    (1) (Gemologia): Denominação aplicada ao fenômeno de reflexão da luz devido a existência de fibras ou canais ordenados paralelamente no interior de uma gema. Quando a lapidação é do talhe cabochão e segundo a direção correta, pode ser observada uma banda sedosa, luminosa, na direção perpendicular à das inclusões presentes na gema. (2) (Mineralogia): Variedade de crisoberilo, que quando polida, exibe brilho opalescente, sendo que na superfície polida aparecerá uma faixa luminosa, estreita e longa quando a pedra é mudada de posição. Sin.: Cimofana.

    OLIGOTRÓFICO
    Solo que apresenta uma carência generalizada em nutrientes.

    OLIVINAS
    Grupo de minerais que cristalizam no sistema ortorrômbico, classe bipiramidal, e constituindo uma série completa de solução sólida, que vai da forsterita – Mg2(SiO4) – à faialita- Fe2 (SiO4). As olivinas mais comuns são mais ricas em magnésio do que em ferro. De ocorrência mais rara são a monticellita-CaMgSiO4, a tefroita- Mn2SiO4 e a larsenita- PbZnSiO4.

    OMBREIRA
    Patamar situado em uma encosta, devido geralmente a ação da erosão diferencial em uma rocha mais resistente, formando um ressalto topográfico.

    OMBRÓFILA
    Vocábulo de origem grega que significa “amigo das chuvas”.

    ONCÓLITO
    Pisólito de origem algálica com dimensões inferiores a 10cm de diâmetro, e que exibe uma série de laminações concêntricas, geralmente irregulares.

    ONDA
    Perturbação que se propaga ao longo de um meio, tal que em qualquer ponto, a sua amplitude é função do tempo e em qualquer instante o deslocamento sofrido pelo ponto é função da sua posição no espaço.

    ONDA DE AREIA
    Onda gigantesca com amplitude média da ordem de 10m-15m e cujo comprimento de onda situa-se entre várias centenas de metros. I. sandwave.

    ONDA ELETROMAGNÉTICA
    Conjunto de dois vetores ortogonais indissociáveis que se propagam no espaço e cuja amplitude varia periodicamente (sinusoidalmente) com o tempo.

    ONDAS COMPRESSIONAIS
    Ver ondas P.

    ONDAS L
    Oscilação de grande comprimento de onda, ou completamente sinuosa, que se propaga apenas na Crosta da Terra quando as ondas P e S a atingem. Sob essa denominação estão incluídas as ondas Raleigh que vibram verticalmente na direção de propagação, e as ondas transversas que vibram horizontalmente. Mostram velocidades variando entre 4,0km/s e 4,4km/s. Sin.: Ondas longas. Ver também terremoto.

    ONDAS P
    Ondas transmitidas por compressão e rarefação, segundo a direção de propagação. Deslocam-se com velocidades compreendidas entre 5,5km/s e 13,8km/s e aumentam de acordo com a profundidade. Sins.: Ondas primárias ou compressionais. Ver também terremoto.

    ONDAS SÍSMICAS
    Perturbações elásticas que se propagam a partir do foco de um terremoto (ou do ponto de tiro numa prospecção sísmica), em todas as direções.

    ONG’s
    Organizações não-governamentais. São movimentos da sociedade civil, independentes, que atuam na área da ecologia, conservação e preservação do meio ambiente e da natureza.

    ONÍVORO
    Organismo que se alimenta de qualquer tipo de alimento. Pantófago.

    ÔNIX
    Variedade de calcedônia estratificada, com as camadas dispostas em faixas retas e paralelas. Mostra uma ampla gama de cores, com exceção da vermelha, alaranjada e marrom, sendo que a preta é a mais apreciada para fins gemológicos.

    ONLAP
    (1) Termo utilizado em sismoestratigrafia, referindo-se ao limite inferior de uma seqüência deposicional, quando este se configura em terminação sucessiva, mergulho acima, de estratos - refletores sísmicos, originalmente horizontais, sobre uma superfície discordante inclinada, de natureza deposicional ou erosional. Os estratos podem ser inclinados, desde que a inclinação seja no mesmo sentido e de menor magnitude que a inclinação da superfície discordante. (2) Em um sentido mais abrangente, diz-se do recobrimento caracterizado pelo afinamento regular e progressivo, em direção às margens de uma bacia deposicional, das unidades sedimentares contidas dentro de uma mesma seqüência deposicional, no qual o limite de cada unidade é ultrapassado pela unidade seguinte, superposta.

    ONTOGÊNESE
    Denominação aplicada ao estudo do ciclo de vida de um organismo.A ontogênese estuda o desenvolvimento do indivíduo, da fase embrionária até a maturidade.

    OÓLITOS
    Pequenas concreções arredondadas, principalmente de carbonatos, encontradas em rochas sedimentares e com diâmetro médio entre 0,5 e 2,0 mm. Sin.: pisólito.

    OPACO (MINERAL)
    Mineral que não permite a transmissão de luz, mesmo em espessuras da ordem de micra. Tratam-se geralmente de óxidos e sulfetos metálicos.

    OPALA
    Variedade de sílica com composição SiO2.nH2O,isto é, com uma quantidade de água variável, amorfa, e coloração muito diversa, como amarelo, vermelho, castanho, verde, cinza, branca e azul. Dependendo de suas características pode ser considerada uma gema. Muitas vezes mostra um aspecto leitoso denominado opalescência.

    ORDENAMENTO AMBIENTAL
    Também chamado ordenamento ecológico ou ordenação ecológica. É o processo de planejamento, formado por um conjunto de metas, diretrizes, ações e disposições coordenadas, destinado a organizar, em certo território, o uso dos recursos ambientais e outras atividades humanas, de modo a atender a objetivos políticos: ambientais, de desenvolvimento urbano, econômico, etc.. Sin.: planejamento territorial ambiental.

    ORDOVICIANO
    Período da Era Paleozóica situado após o Período Cambriano e com duração compreendida aproximadamente entre 505 e 438 milhões de anos, abrangendo os andares - dos mais antigos para os mais novos – Tremadociano, Arenigiano, Llanvirniano, Llandeilano, Caradociano e Ashgilliano.

    ORGÂNICO (SOLO)
    Horizonte do solo formado pela acumulação de resíduos orgânicos em condições hidromórficas. Ex.: turfa.

    ORGANISMO
    Qualquer ser vivo, seja do reino vegetal ou animal.

    ORGANISMO GENETICAMENTE MODIFICADO (OGM)
    Organismo cujo material genético – DNA/RNA, foi modificado por qualquer técnica de engenharia genética. (Resolução CONAMA nº 305, de 12 de junho de 2002).

    ORGANISMOS INDICADORES
    Organismos que, pela sua presença ou ausência, indicam a condição ou grau de poluição existente no meio ambiente.

    ORGANOCLORADOS
    Inseticidas organo-sintéticos, que contêm na sua molécula átomos de cloro, carbono e hidrogênio. Ex.: DDT, Aldrin e Dieldrin.

    ORGANOFOSFORADOS
    Pesticidas orgânicos sintéticos contendo, na sua molécula, átomos de carbono, hidrogênio e fósforo. Exs.: Paration e Malation.

    ORGANOSSOLO
    Solo pouco evoluído, constituído por material orgânico proveniente da acumulação de restos vegetais com grau variável de decomposição, em ambientes mal drenados, ou em ambientes úmidos de elevada altitude, saturados com água durante poucos dias no período chuvoso. Apresenta coloração preta, cinzenta muito escura ou marrom, e elevados teores de carbono orgânico.

    OROGÊNESE
    Processo de formação de montanhas, por dobramento, acavalamento e arquea-mento. Movimento diastrófico de grandes proporções que provoca a formação de montanhas, acompanhado de dobramentos e fraturamentos. I: Orogeny.

    ORÓGENO
    Vide Cinturão de Dobramento.

    ORTO
    Prefixo utilizado para indicar que uma rocha metamórfica foi originada de uma rocha magmática.

    ORTOCLÁSIO
    Mineral do grupo dos feldspatos, que cristaliza no sistema Monoclínico, classe Prismática, podendo apresentar geminados segundo as leis de Carlsbad, Baveno e Manebach. Mostra composição K (AlSi3O8), e dureza 6 segundo a escala de Mohs, sendo que juntamente com a microclina são conhecidos como feldspatos potássicos.

    ORTOCONGLOMERADO
    Conglomerado que apresenta arcabouço aberto, caracterizado por seixos, areia grossa e um cimento químico. Tem a moda principal nos seixos, e a moda menor, nas areias. Representa um produto de deposição em águas muito agitadas. Pode ser dividido em ortoquartzítico e petromítico.

    ORTOGÊNESE
    Teoria segundo a qual e evolução das espécies se processa em um certo sentido definido, independendo da seleção natural ou das forças externas.

    ORVALHO
    Condensação do vapor d’água sobre uma superfície sólida cuja temperatura tenha sido reduzida pelo resfriamento radiativo até situar-se igual ou inferior à temperatura do ponto de orvalho do ar adjacente. As condições favoráveis à ocorrência de orvalho são noites de céu límpido, baixo teor de umidade e pequenas velocidades de vento.

    OSCILAÇÃO GENÉTICA
    Denominação utilizada para indicar alterações produzidas nas freqüências dos genes motivadas por diminuições ao acaso das proporções esperadas.

    OSMOSE
    Fenômeno da passagem de um solvente através de uma membrana colocada entre duas soluções, no sentido da solução menos concentrada.

    OSMOSE REVERSA
    Processo em que se utiliza a pressão osmótica em sentido inverso. É empregada em desalinização de águas.

    OURO
    Metal nobre que cristaliza no sistema cúbico, com cor amarela, brilho metálico, mostrando-se altamente maleável e dúctil. Presente tanto no estado nativo quanto como teluretos. É bom condutor de calor e eletricidade, sendo que quando finamente dividido pode apresentar cores prata, vermelho e púrpura. Sua fusão ocorre a 1063°C. Sob o ponto de vista comercial recebe as denominações de ouro branco, ouro 18 quilates, ouro verde e ouro 24 quilates, sendo este ouro puro (100% Au). Existe uma série completa de solução sólida entre o Au e a Ag, sendo que quando a Ag está presente em quantidades superiores a 20%, o mineral é denominado Eletrum.

    OURO BRANCO
    Denominação comercial utilizada para indicar uma liga de ouro, que contém 75% de Au, 17% de Ni, 2,5% de Cu e 5,5% de Ni.

    OURO VERDE
    Denominação comercial utilizada para indicar uma liga de ouro, que contém 75% de Au, 22,5% de Ag, 1,5% de Ni e 1,0% de Cu.

    OUTEIRO
    Elevação com altitude relativa da ordem de 50m a 100m.

    OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS OU DE ÁGUAS
    Ato administrativo - concessão ou autorização, do poder público que permite a utilização de recursos hídricos. Tem o objetivo de assegurar o controle quantitativo e qualitativo dos usos de água e o efetivo exercício dos direitos de acesso à água pelos usuários.

    OXIDAÇÃO
    (1) (Química): Perda de elétrons ou aumento do número de valência positiva ou diminuição da negativa de um átomo. (2) (Geologia Econômica): Processo de formação de jazimentos minerais, por efeito da meteorização, podendo constituir uma zona superior de minerais oxidados e uma outra, inferior, de enriquecimento supergênico, permanecendo inalterada a zona mineralizada primária.

    OXIDAÇÃO BIOLÓGICA OU BIOQUÍMICA
    (1) Processo pelo qual bactérias e outros microorga-nismos se alimentam de matéria orgânica e a decompõem. Dependem desse princípio a autodepuração dos cursos d’água e os processos de tratamento por lodo ativado e por filtro biológico. (2) Processo em que organismos vivos, em presença ou não de oxigênio, através da respiração aeróbia ou anaeróbia, convertem matéria orgânica contida na água residuária em substâncias mais simples ou de forma mineral.

    OXIDAÇÃO BIOQUÍMICA
    O mesmo que oxidação biológica.

    OXIDAÇÃO TOTAL
    É um processo de tratamento de águas residuárias no qual os lodos biológicos produzidos são transformados por auto-oxidação.

    OXIGÊNIO CONSUMIDO
    Quantidade de oxigênio necessário para oxidar a matéria orgânica e inorgânica numa determinada amostra.

    OXIGÊNIO DISSOLVIDO (OD)
    (1) Oxigênio dissolvido em água, água residuária ou outro líquido, geralmente expresso em miligramas por litro, partes por milhão ou percentagem de saturação. (2) O oxigênio dissolvido é requerido para a respiração dos microorganismos aeróbios e de todas as outras formas de vida aeróbias. O oxigênio só é fracamente dissolvido em água. A quantidade de oxigênio dissolvido depende de: (a) solubilidade do gás; (b) pressão parcial do gás na atmosfera; (c) temperatura; (d) grau de pureza - salinidade, sólidos em suspensão, etc., da água. Como as reações bioquímicas que utilizam o oxigênio aumentam com o aumento da temperatura, os níveis de oxigênio dissolvido tendem a ser mais críticos no verão.

    OZÔNIO
    Forma do oxigênio em que a molécula está formada por três átomos (O3). Ocorre nas partes superiores da estratosfera e, em menor medida, nas baixas camadas da mesosfera, em alturas compreen-didas entre 20 e 35.000 metros (estendendo-se para além dos 50.000 metros). Os raios ultravioletas da radiação solar produzem ozônio, agindo sobre a molécula ordinária do oxigênio. Embora a concentra-ção de ozônio seja sempre pequena, realiza duas funções importantes, pois evita que cheguem à Terra altas doses de raios ultravioletas (letais para os seres vivos) e tem papel importante no equilíbrio térmico". Pode ser obtido de lâmpadas ultravioletas ou ainda por descargas elétricas no ar atmosférico. É um gás irritante, sem cor e tóxico. O ozônio é um dos componentes do “smog” fotoquímico e é considerado o principal poluente atmosférico.

    OZONOSFERA
    Ver camada de ozônio.